Quem Somos

O Meliponário Rei da Mandaçaia é um empreendimento familiar especializado na criação, conservação e manejo de Abelhas Sociais Sem Ferrão de ocorrência natural no estado da Bahia, estamos a mais de 20 anos criando, multiplicando e contribuído para preservação destes pequenos magníficos animais. O nosso empreendimento é cadastrado no IBAMA CTF: 1681253, no Site é possível encontrar fotos da produção e muitas informações a cerca desta atividade, nosso meliponário principal está situado no Distrito de Hidrolândia - Uibaí e em Cruz das Almas no Recôncavo da Bahia.

Responsável Técnico: Engenheiro Agrônomo/Mestre em Ciências Agrárias, Márcio Pires de Oliveira / CREA/BA40051 Email: meliponarioreidamandacaia@hotmail.com


terça-feira, 3 de abril de 2012

Bahia sofre efeitos devastadores com seca mais longa dos últimos 30 anos

É com lagrimas nos olhos e muita tristeza que faço essa postagem, pois é muito difícil ver a sua região ser manchete do Jornal Nacional, o principal jornal televisivo do país.
Assunto: a seca, que já é a maior nos últimos 40 anos nesta região (na Bahia, a maior em 30 anos).
Irecê ocupa posição de status por ser a maior cidade da microrregião, tendo a maior população, e por ser a mais evoluída tecnologicamente.O município é famoso e reconhecido pelo grande potencial agrícola e agropecuário, tendo recebido o título de "Cidade do Feijão" pelas grandes safras colhidas aqui nas décadas de 1980 e 1990.
O município, em seus tempos áureos foi o primeiro produtor de feijão do nordeste, e o segundo do País.
A economia do município e região é baseada na produção agrícola de policultura, dando-se destaque além da produção de mamona e feijão, à produção de cebola, tomate, beterraba, cenoura, pinha (que também tem grande destaque na região); baseia-se também a economia na pecuária e no comércio local, que há muito se desvinculou da produção agrícola, tornando-se logo auto-suficiente.
Seu comércio é destaque no cenário estadual, a cidade é o centro da região com muitas lojas de todos os segmentos e grupos empresariais.
Está passando a ser conhecida também como polo de vestuário, onde muitos comerciantes locais passaram a se tornar atacadistas e varejistas, alavancando assim a economia do município.. A microrregião de Irecê é composta por 19 municípios, segundo o IBGE: América Dourada, Barra do Mendes,Barro Alto, Cafarnaum, Canarana, Central, Gentio do Ouro, Ibipeba, Ibititá, Irecê,Itaguaçu da Bahia, João Dourado, Jussara, Lapão, Mulungu do Morro, Presidente Dutra,São Gabriel, Souto Soares e Uibaí.
Pois é coisa aqui na Bahia princialmente no sertão não vão boas para nossos irmãos agricultores, aqui em algumas cidades não chove a meses, isso se 150mm de chuva desde outubro de 2011 até agora pode ser chamado de chuva, a coisa não vai bem nem mesmo para as abelhas, como vocês poderão ver no final do vídeo pegando água no chafariz!
No final colocarei algumas fotos do desespero das Apis a procura de alimento, já nem estou podendo mexer em minhas abelhas para evitar pilhagem pelas Apis.

Reportagem do site G1,

 
Um drama atinge milhões de brasileiros e produz efeitos devastadores na economia e na vida das famílias, principalmente das regiões mais pobres. Moradores da Bahia estão sofrendo com a seca, considerada pelas autoridades a mais longa dos últimos 30 anos. A reportagem é de José Raimundo.
Nos pastos, pouca comida. O capim já secou. O gado está morrendo de fome. O jeito é carregar a palha do milho que o sol não deixou colher. É assim que o pecuarista João de Farias, de 94 anos, tenta salvar os bezerros.
“Se o gado enfraquecer e começar a cair, está morto", diz.
Na região de Irecê, a que mais produz feijão no Nordeste, as perdas na lavoura passam de 80%. Há escassez de água até no subsolo. Poços artesianos secaram. Os que ainda funcionam já dão sinais de que também estão se esgotando.
Para muitas comunidades do sertão da Bahia, o caminhão pipa é a única fonte. Quem recebe a água que ele traz tem a obrigação de dividir.
O trabalhador rural João Souza conta que cerca de 40 famílias, ou 130 pessoas, se abastecem em sua casa.
Barragem de Mirorós. Uma reserva que acumula 170 milhões de metros cúbicos de água. O lago se espalhava por 15 quilômetros. Encolheu tanto que não passa de três quilômetros.
Desde que foi inaugurada, há 28 anos, a barragem nunca esteve desse jeito. A água já desceu 33 metros. Está muito abaixo até do limite mínimo previsto na régua de medição. Hoje, o reservatório tem apenas 8% do volume normal. Se descer mais três metros, o abastecimento da região entra em colapso.
“Nós temos que ter agora essa prioridade para o abastecimento humano, sob pena de interrupção total do fornecimento em no máximo seis meses", alerta Raimundo Neto, gerente da Empresa de Água da Bahia.
São 14 cidades atendidas pela barragem. Na maioria dos povoados da área, água, só dois dias da semana. Um canal que abastece a produção irrigada logo vai secar. O fornecimento para os 220 lotes do projeto já foi cortado.
Os produtores colhem os últimos cachos das bananeiras que foram plantadas no ano passado. Os plantios mais novos não vão produzir.
“A gente está acostumado a plantar e colher. Agora, sem água não tem como colher", diz o agricultor Cláudio Pinheiro.
Dos 417 municípios da Bahia, 186 já decretaram estado de emergência. São mais de dois milhões de baianos sofrendo com a falta de chuva.

Situação das abelhas na região: 
Abelhas Arapua e Sanharol  coletando excrementos de cigarrinhas

 Abelhas ASF coletando excrementos de cigarrinhas em pés de amora


Desespero das Apis em busca de alimento

Apis pilhando enxames de Mandaçaia devido a escassez de floradas.

Disputa pelo alimento derramado.

Amontoado de abelhas brigando por alimento, situação muito triste de se ver, só mesmo Deus para nos ajudar.

Fotos situação das abelhas: Márcio Pires