Quem Somos

O Meliponário Rei da Mandaçaia é um empreendimento familiar especializado na criação, conservação e manejo de Abelhas Nativas Sem Ferrão, com ocorrência natural no estado da Bahia, estamos a mais de 30 anos criando, multiplicando e contribuído para preservação destes pequenos magníficos animais.

O nosso empreendimento é cadastrado no IBAMA CTF: 1681253 e na Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), e enquadrado na Lei Estadula: Nº 13.905 DE 29 DE JANEIRO DE 2018.

Aqui em nosso site é possível encontrar fotos da produção e muitas informações a cerca desta atividade, nosso meliponário principal está situado no Distrito de Hidrolândia - Uibaí e em Cruz das Almas no Recôncavo da Bahia.

Responsáveis Técnicos Eng. Agrônomos:

MSc. Márcio Pires de Oliveira /CREA:BA40051

Dra. Polyana Carneiro dos Santos

Email: meliponarioreidamandacaia@hotmail.com

Siga nossa pagina ://www.facebook.com/reidamandacaia/

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Contato com agrotóxico torna abelha 'chata para comer', diz estudo


Mudança no apetite afeta sobrevivência de toda a colônia.
Inseticida usado em plantações afetou também comunicação da espécie.

Biólogos da Universidade da Califórnia, em San Diego, descobriram que uma pequena dose de um agrotóxico muda o apetite das abelhas, tornando-as “chatas para comer”. O contato com o agente químico diminuiu ainda sua habilidade de recrutar as companheiras para encontrar bons restos de comida, o que afeta a sobrevivência de toda colônia.
Os resultados dos experimentos foram detalhados na revista científica “Journal of Experimental Biology” nessa semana.
A pesquisa aborda as implicações da aplicação dos agrotóxicos nas safras polinizadas por abelhas e lança luz sobre um dos principais suspeitos por estar por trás das recentes quedas no número de colônias de abelhas: o inseticida imidaclopride.
O agrotóxico é usado em plantações, mas já foi banido em alguns países europeus.
Márcio Pires: Abelha Melipona mandacaia Smith em flor de maracujá 

A equipe de cientistas testou a ação de uma pequena dose do inseticida nas abelhas, na mesma quantidade do néctar que ela costuma se alimentar, e observou que o apetite delas mudou completamente. Elas deixaram de se alimentar de um tipo de néctar essencial para o sustento da colônia, explicou Daren Eiri, autor do estudo.
“Além disso, as abelhas geralmente recrutam suas companheiras para resgatar comida e gostam de fazer movimentos como uma dança. E nós descobrimos que essas [que tiveram contato com o agrotóxico] dançaram menos”, alertou Eiri.
Os estudiosos ainda detectaram que o contato com o agrotóxico afetou o sistema de comunicação das abelhas.
“A exposição ao agrotóxico considerado seguro pode afetar negativamente a saúde das colônias de abelhas”, disse James Nieh, a professor de biologia da Universidade de San Diego, o outro autor do estudo.

Foto:Márcio Pires
Fonte: SiteG1

Nenhum comentário:

Postar um comentário