Quem Somos

O Meliponário Rei da Mandaçaia é um empreendimento familiar especializado na criação, conservação e manejo de Abelhas Sociais Sem Ferrão de ocorrência natural no estado da Bahia, estamos a mais de 20 anos criando, multiplicando e contribuído para preservação destes pequenos magníficos animais. O nosso empreendimento é cadastrado no IBAMA CTF: 1681253, no Site é possível encontrar fotos da produção e muitas informações a cerca desta atividade, nosso meliponário principal está situado no Distrito de Hidrolândia - Uibaí e em Cruz das Almas no Recôncavo da Bahia.

Responsável Técnico: Engenheiro Agrônomo/Mestre em Ciências Agrárias, Márcio Pires de Oliveira / CREA/BA40051 Email: meliponarioreidamandacaia@hotmail.com


quinta-feira, 28 de julho de 2011

Curso Internacional de Campo sobre Polinização

Curso Internacional de Campo sobre Polinização, uma atividade vinculada à Iniciativa Brasileira dos Polinizadores (IBP), o Programa Brasileiro para conservação e uso sustentável dos polinizadores. O curso é aberto à participação de profissionais e estudantes de Pós-Graduação em Biologia e áreas afins e visa formar recursos humanos de nível superior para a conservação e manejo de polinizadores. O curso é aberto a todas as pessoas interessadas no tema, mas será dada prioridade para biólogos para quem o curso proporcionará benefícios significativos as suas pesquisas e/ou ensino. Não é exigido conhecimento profundo sobre polinização. O Curso de Polinização será limitado a 25 participantes.
O curso de 2011 está sendo organizado pela Embrapa e Museu Goeldi. A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), foi criada em 26 de abril de 1973, tem como missão viabilizar soluções de pesquisa, desenvolvimento e inovação para a sustentabilidade da agricultura, em benefício da sociedade brasileira. A Embrapa Amazônia Oriental surgiu em 1939, como o Instituto Agronômico do Norte (IAN). Trata-se de uma das mais antigas instituições de pesquisa atuando na Amazônia, juntamente com o Museu Paraense Emilio Goeldi, Goeldi é uma instituição de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia do Brasil. Está localizado na cidade de Belém, Estado do Pará, região amazônica. Desde sua fundação, em 1866, suas atividades concentram-se no estudo científico dos sistemas naturais e socioculturais da Amazônia, bem como na divulgação de conhecimentos e acervos relacionados à região. O curso terá apoio do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Projeto GEF/FAO PolinizadoresFundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), Programa de Pesquisa em Biodiversidade da Amazônia Oriental (PPBio), International Union of Biological Sciences (IUBS), Canadian Pollination Initiative (NSERC-CANPOLIN) e agências brasileiras de fomento.
A primeira edição deste curso ocorreu no Mexico (1990) em co-participação da Universidade de Guelph e o Jardim Botânico, Estação de Biologia Chamela y Los Tuxtlas da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). Em 2001 o curso foi oferecido pela Universidade Nacional de Heredia, Costa Rica e pela Universidade de Saint Louis, Missouri Botanical Garden, Estados Unidos da América. A partir de 2003 o curso veio para o Brasil, sendo realizado no Parque Nacional da Chapada Diamantina, Lençóis, Bahia (assim como as edições de 2005, 2007 e 2009), em Limoeiro do Norte, Ceará (2008) e no Parque Nacional de Aparados da Serra, Rio Grande do Sul (2010).
Esta edição ocorrerá numa estação de campo ímpar, a Estação Científica Ferreira Pena (http://www.museu-goeldi.br/ecfpn/), localizada na Floresta Nacional de Caxiuanã, no coração da maior área de floresta tropical contínua do mundo, a magnífica Floresta Amazônica! Além da base científica oferecida pelo curso, os alunos terão a oportunidade de conhecer o modo de vida dos ribeirinhos, bem como a rica cultura da cidade de Belém do Pará, a Cidade das Mangueiras, e apreciar os incríveis rios Amazônicos enquanto viajam de barco para a estação de campo. 
O curso irá abordar desde questões relacionadas à evolução das interações entre plantas e animais à biologia da conservação. Nas aulas teóricas, serão tratados temas específicos e discutidas questões teóricas diversas em ecologia da polinização baseadas em publicações científicas clássicas e recentes. Nas atividades práticas serão realizados exercícios e demonstrações em campo e em laboratório assim como, a elaboração de mini-projetos, cujos resultados serão apresentados pelas equipes de participantes ao final da Oficina. Os dados obtidos durante as atividades de campo deverão ser convertidos em artigos e reunidos em uma publicação.
O curso é bilíngue, realizado na língua portuguesa e inglesa. Espera-se que pelo menos a metade dos alunos sejam estudantes de universidades brasileiras e/ou profissionais interessados no tema e a outra parte venha de universidades da Pan-Amazônia e América do Norte, o que proporcionará boas oportunidades de fazer novos amigos e troca de experiências culturais.

Conteúdo programático do curso
1. Aulas teóricas sobre os princípios da polinização:
• Adaptações das plantas e flores;
• Adaptações dos animais;
• Atrativos florais;
• Recompensas florais;
• Sistemas de incompatibilidade;
• Uso dos sentidos pelos animais;
• Comportamento dos visitantes nas flores;
• Ecologia evolutiva;
• Estrutura da comunidade de polinizadores;
• Conservação dos serviços de polinização;
• Polinização em agroecosistemas.
2. Práticas de laboratório e demonstrações:
• Métodos em biologia floral;
• Métodos em biologia da polinização;
• Identificação de abelhas.
3. Práticas de campo a serem desenvolvidas de acordo com a oferta de flores na flora local e agentes de polinização.
4. Apresentações dos projetos dos estudantes.