Quem Somos

O Meliponário Rei da Mandaçaia é um empreendimento familiar especializado na criação, conservação e manejo de Abelhas Sociais Sem Ferrão de ocorrência natural no estado da Bahia, estamos a mais de 20 anos criando, multiplicando e contribuído para preservação destes pequenos magníficos animais. O nosso empreendimento é cadastrado no IBAMA CTF: 1681253, no Site é possível encontrar fotos da produção e muitas informações a cerca desta atividade, nosso meliponário principal está situado no Distrito de Hidrolândia - Uibaí e em Cruz das Almas no Recôncavo da Bahia.

Responsável Técnico: Engenheiro Agrônomo/Mestre em Ciências Agrárias, Márcio Pires de Oliveira / CREA/BA40051 Email: meliponarioreidamandacaia@hotmail.com

Visite nossa lojinha virtual no endereço:

http://www.lojareidamandacaia.com.br/

terça-feira, 6 de março de 2012

Abelhas nativas do Rio Grande do Sul aumentam produtividade de plantações de morango


Polinização pela abelha mirim reduz a quantidade de frutos deformados
Polinização pela abelha mirim reduz a quantidade de frutos deformados - Foto: Fernando Dias

Estudo integrado por pesquisadores da Fepagro apontou aumento da produtividade no cultivo de morangos com o auxílio da polinização por abelhas nativas do Rio Grande do Sul. A abelha utilizada (Plebeia nigriceps),popularmente conhecida como mirim, não possui ferrão e é originária do estado, ao contrário da abelha comum (Apis mellifera). O estudo foi publicado na edição mais recente da revista Pesquisa Agropecuária Brasileira, editada pela Embrapa.
A pesquisadora Sídia Witter, que participou do estudo, comenta que o trabalho é mais um exemplo da importância das abelhas para a agricultura familiar gaúcha. Os morangos foram plantados em estufas no período de agosto a novembro de 2007, na Estação Experimental da Fepagro Saúde Animal, em Eldorado do Sul. Além de Sídia, os pesquisadores da Fepagro Bernadete Radin e Bruno Brito Lisboa também integraram o trabalho, além de Juliane Galaschi Teixeira (USP), Betina Blochtein (PUCRS) e Vera Lúcia Imperatriz-Fonseca (USP).
O aumento da produtividade está relacionado à redução do percentual de frutos deformados (ver imagem abaixo), problema provocado pela autopolinização. A polinização cruzada (troca de pólen entre flores diferentes), produzida pela ação das abelhas, diminui a incidência de deformação nos morangos. O Rio Grande do Sul é um dos principais produtores de morango do país. O cultivo ocorre nos municípios do Vale do Rio Caí, Caxias do Sul e Farroupilha e região de Pelotas.
dsd
Além deste estudo, Sídia desenvolve uma série de pesquisas envolvendo a polinização por meio de espécies de abelhas nativas do Rio Grande do Sul, como opção ao uso da Apis mellifera. “A maior importância das abelhas não está na produção do mel, mas sim na polinização”, observa. “Muitas das espécies que estudamos já estão em extinção”. A pesquisadora da Fepagro integra um projeto financiado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), através do Ministério do Meio Ambiente, para promover a conservação, a restauração e o uso sustentável da diversidade de polinizadores na agricultura e ecossistemas relacionados.

Clarice Gontarski Speranza (MTb 7085/90)
Divisão de Comunicação Social da Fepagro

segunda-feira, 5 de março de 2012

I CURSO de MELIPONICULTURA: manejo da Melipona mandacaia Smith

A meliponicultura é um componente muito importante para o desenvolvimento de sistemas agroecológicos de produção adaptados ao nosso sertão semiárido caatingueiro, voltado principalmente para a agricultura familiar. Não pode ser entendida como uma atividade isolada, mas integrada na diversidade de atividades de uma propriedade, de um agroecossistema, que inclui o aspecto ecológico, econômico, cultural, social e até político, porque antes das abelhas estamos nós, desfrutando e dominando essa natureza que nos foi dada.
Na semana passada nos dias 1, 2 e 3 de março de 2012, o IF Sertão Pernambucano, Campus Petrolina Zona Rural ofereceu o I Curso de Meliponicultura: manejo da Melipona mandacaia. Reuniram-se 24 meliponicultores iniciantes e veteranos (participantes vieram de Juazeiro, Curaçá, Remanso e Pilão Arcado na Bahia, Petrolina-PE além de Acauã-PI), estudantes e profissionais para uma capacitação de alto nível, que contou com os Professores: Rogério Marcos – IF Baiano, Márcio Pires – EBDA Canarana, Katia Siqueira – UNEB Juazeiro, Márcia Ribeiro – EMBRAPA Semiárido, Klefson Sena – Prefeitura de Petrolina e, Silver Jonas – IF Sertão-PE.
O curso também teve como objetivo aproximar criadores para a organização de uma rede de intercâmbio de experiências em agroecologia. 
Houve aulas teóricas e práticas tais como, transferência de caixas inadequadas para as caixas modelo IMPA, manejo alimentar e multiplicação de enxames. Os participantes ficaram muito empolgados e confiantes de ampliar seus resultados e seus criatórios, como pode ser observado nas fotos a seguir.
Dr. Rogério Marcos de Oliveira Alves deu um Show  na aula sobre comercialização dos produtos das Abelhas 
As metas da rede para os próximos 12 meses são: a) concluir a instalação de dois meliponários dentro do IF Sertão-PE, b) oferecer cursos aos estudantes e à comunidade externa, c) multiplicar e fornecer enxames para novos criadores, d) condução de pesquisas. Pensando mais alto, estaremos estimulando novos empreendedores familiares, induzindo esse novo mercado e produção em escala, o que permitirá voos mais altos. Esta atividade foi uma reprodução adaptada do curso que o Grupo INSECTA/UFRB promove todos os anos em Cruz das Almas-BA, e pretende ser realizado sempre a cada fevereiro. 
Maiores informações com o Prof. Silver Jonas: silver.jonas@ifsertao-pe.edu.br.

Fotos:Márcio Pires